Categoria: Setor e Mercado

Debate: Conheça as características do Steel Framing

Sistema que garante obra rápida com mínima geração de resíduos Leveza, rapidez de construção, baixa geração de resíduos e facilidade de reciclagem estão entre as principais vantagens do sistema. Sistema construtivo composto por perfis de aço galvanizado, associados a componentes de vedação industrializados como o OSB ou placas cimentícias, o light steel frame, ou apenas steel frame, surgiu nos Estados Unidos, no século 20, como uma evolução do wood frame (que utiliza perfis de madeira), para atender à necessidade urgente de novas habitações, em função da explosão demográfica no país. Versatilidade, redução do desperdício de material e rapidez de construção estão entre as principais vantagens do sistema, que exige projeto e planejamento minuciosos para evitar patologias. Um dos erros mais comuns no projeto é a ausência de contraventamentos, responsáveis pela resistência da construção a cargas horizontais como, por exemplo, os esforços gerados pelo vento. "O cálculo estrutural do light steel frame se baseia em carga distribuí­da. Se não houver contraventamento e espaçamento correto entre os perfis, que deve ser de 40 cm a 60 cm, em função das placas de vedação, a construção fica frágil e balançando", explica Heloisa Pomaro, arquiteta e sócia do escritório Casa Micura. É possível construir edificações com até cinco pavimentos feitas integralmente com o steel frame. Neste caso, os perfis empregados no primeiro pavimento devem ter 1,25 mm de espessura, enquanto os montantes dos demais pavimentos, 0,95 mm. Em construções de maior altura, em que a estrutura principal é de concreto ou metálica (com perfis mais robustos), o sistema pode atuar compondo fachadas ou vedando áreas molháveis. Normalmente, uma casa de alvenaria convencional leva o dobro do tempo para ser construída do que uma em steel frame, com a mesma área construída. Os componentes construtivos chegam prontos ao canteiro de obras e, para erguer o steel frame, é preciso apenas de uma ferramenta: a parafusadeira. "A estrutura é toda parafusada. A solda nunca deve ser usada porque retira a camada de proteção de zinco contra corrosão dos perfis de aço", explica Gilberto Valverde Carneiro, diretor da construtora Inplaca. OSB, placa cimentícia e PVC são empregados como placas de vedação externas, em painéis do tipo sanduíche, com miolo de lã mineral (para isolamento termoacústico) e chapa de gesso acartonado como acabamento interno. As placas cimentícias e o OSB podem ainda vir com acabamento vinílico ou cimentício, passando então a ser denominadas siding cimentício e siding vinílico, respectivamente. Apesar de mais caros, os sidings dispensam futuros reparos na pintura, exigindo como manutenção apenas lavagem. A durabilidade do steel frame depende da correta especificação dos materiais, como tintas, massas de acabamento, de assentamento e rejuntes, que devem ser flexíveis para evitar a formação de fissuras decorrentes dos diferentes coeficientes de dilatação dos componentes do sistema e das micromovimentações da estrutura. "O material usado em alvenaria não possui elasticidade para segurar a dilatação, causando fissuras quando utilizado no sistema steel frame", explica Valverde. Normalmente, as edificações de steel frame são erguidas sobre uma fundação direta do tipo radier, que…
Leia Mais

Crise hídrica abre espaço para inovação na construção

Com o período de seca em várias regiões brasileiras dos últimos meses, cerca de 46 milhões de pessoas foram impactadas pela falta de água no país, a maior parte em São Paulo. Estima-se para 2015, conforme a Agência Nacional de Águas (ANA), a falta de água em 50% das cidades brasileiras, o que aumenta a preocupação com o racionamento e a reutilização da água, de casas a indústrias. Neste contexto, surgem novas soluções no setor da construção civil, responsável por 16% do consumo de água potável, utilizada no concreto, em argamassas, chapiscas, assentamento de tijolos, rebocos e na limpeza das ferramentas de trabalho. Para uma melhor ideia do impacto, para cada um metro cúbico de concreto utiliza-se, em média, de 160 a 200 litros de água. Este cenário faz com que, cada vez mais, as indústrias apostem na construção a seco, especialmente no sistema construtivo Light Steel Frame, que emprega técnicas de Drywall, composto por chapas de gesso acartonado combinado com estruturas de aço galvanizado.
Leia Mais

PREVISÃO DE CRESCIMENTO DO PIB DA CONSTRUÇÃO EM 2014 É REVISADO PELA FGV

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a previsão de 1% a 2% de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da Construção em 2014 foi revista durante reunião com empresas representantes do setor, passando a ser de 0% a 1%. Possivelmente, afirma Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos da construção da FGV, a queda de 5% pode ser justificada somente pelo andamento da indústria de materiais de construção, enquanto outros setores, como o de infra-estrutura, vem cada vez mais se beneficiando dos recursos concedidos pelo Banco Nacional para o Desenvolvimento (BNDES). Para 2015, Ana Maria prevê que o PIB da Construção pode ter um aumento de até 1% quando comparado a 2014. Fonte: Portal Construção a Seco
Leia Mais

LOGÍSTICA INTELIGENTE: A CONTRACT ABRE NOVA UNIDADE NO SUL

Vivendo constantemente em função de encontrar soluções inteligentes para todos os envolvidos, a Contract inaugurou, em janeiro de 2014, sua nova filial, na cidade portuária de Itajaí, em Santa Catarina. Com sede Santo André, São Paulo, atualmente a empresa também está presente na região nordeste do país, em Recife, Pernambuco, como ponto estratégico de distribuição. No dia 24 de janeiro, ocorreu a inauguração fechada aos fornecedores, parceiros locais, clientes e colaboradores da Contract. A nova unidade da empresa já está em funcionamento, o que otimizará o armazenamento e o escoamento dos produtos de todas as linhas para as cinco regiões do Brasil. A filial de Itajaí fica localizada à Rodovia Antonio Heil, 4.500. Contato: 47 3346.9484
Leia Mais